A Câmara de Leiria decidiu desligar iluminação de fontes e monumentos, tendo em vista reduzir o gasto energético.

A Fonte Luminosa, a Fonte da Zona Desportiva e as Fontes do Jardim Luís de Camões estão entre as muitas atrações desta cidade. Ainda assim, face à necessidade de poupança energética e tendo em consideração o Plano Municipal de Poupança e Eficiência Energética, apresentado em reunião executiva com o vereador Carlos Palheira, decidiu-se desligar a iluminação das fontes públicas.

Sabemos que a “Europa atravessa uma situação difícil face à energia”, pelo que surge a urgência de “mitigar os consumos e tornar os equipamentos o mais eficientes possível.”

Estão previstas já diversas campanhas, nomeadamente nos estabelecimentos de ensino, dado que albergam equipamentos com consumos exponenciais de energia. Serão incluídos também edifícios municipais – onde serão instalados painéis fotovoltaicos para produção de energia. Está pressuposto diminuir a intensidade da iluminação em zonas da cidade, a partir de determinada hora da noite, não descartando a segurança das pessoas e dos bens.

Paralelamente e tendo em consideração a seca que se agrava dia após dia, foi apresentado um reforço para as medidas de eficiência hídrica, já anunciadas em fevereiro. A autarquia irá continuar a estudar a disponibilidade de água existente e a identificar recursos a ser mobilizados em caso de agravamento. As campanhas de poupança de água irão permanecer: o Munícipio de Leiria irá adotar boas práticas de rega – programação para o período noturno, utilização da água do caudal do rio e intermediação da utilização da água da rede para fins não potáveis.

O vereador Luís Lopes falou, ainda, na possível redução da pressão da água em alguns locais da cidade, sublinhando a possibilidade de fontes alternativas de água para missões comuns de proteção e socorro, como águas pluviais ou residuais tratadas.